21 dezembro 2006

Homossexualidade - Hélcio José

O tema realmente é muito polêmico e não existem conclusões definitivas a respeito. Entretanto, valem algumas considerações.

Em todo tema tratado por religiosos ou não, o que mais se deve observar é a fonte. Devemos estar atentos para saber se quem está falando sobre o tema verdadeiramente o conhece bem. Interessante observar que os cientistas nazistas falavam com muita propriedade “científica” sobre a “inferioridade” das outras raças. Ou seja, o que eu quero dizer é que toda ciência, filosofia ou doutrina pode errar ou acertar. O tempo nos prova isso o tempo todo.

Apesar disso, sempre acreditei que maior autenticidade é dada a um assunto quando dito por quem vivenciou a situação. Ou seja, ninguém melhor para falar de escravidão que um negro instruído à época do século XVII. Ninguém melhor para falar de Holocausto que um judeu consciente à época da ditadura alemã. Portanto, ninguém melhor para falar de homossexualidade que um homossexual dedicado à ciência ou a outras correntes elucidativas. O problema, no decorrer da história, é que os grandes cientistas homossexuais escondiam sua condição, não falando seus entendimentos e esclarecimentos a respeito. Não estou desmerecendo os cientistas e teóricos sinceros desprovidos de preconceitos, os quais, mesmo não sendo homossexuais, buscam verdadeiramente respostas para suas indagações. A esses eu endereço minha sincera gratidão e admiração. Muitos assim têm contribuído significativamente para a humanidade.

De uma coisa eu sei: ter consciência de ter nascido homossexual é o mesmo que ter consciência de ter nascido negro, amarelo ou qualquer outra diferença marcante. A criatura homoafetiva sabe, desde o princípio, que é diferente.

Faço distinção entre HOMOAFETIVO e “pessoas com problemas na área da sexualidade”. O primeiro já nasce assim. O segundo pode retomar sua condição por livre-arbítrio. O problema é que ninguém esclareceu isso até hoje. No livro “O preço de ser diferente” (Mônica de Castro, pelo espírito Leonel) isso fica claro, mostrando Romero como criatura homoafetiva e Júnior como um ser “com problemas na área da sexualidade”. O homoafetivo não tem problemas na área da sexualidade. Seus problemas são com a sociedade e com os preconceitos. O homoafetivo geralmente não tem problemas de aceitação, e sua única preocupação é encontrar alguém para viver em paz, em companheirismo, de preferência para o resto de sua vida. São em sua maioria monogâmicos e afetuosos, e seus corpos funcionam perfeitamente (tanto para homens como para mulheres). A diferença reside apenas no fato de que desenvolverão AFETO e libido por outra pessoa do mesmo sexo.

É aí que está o ponto da questão. As pessoas confundem, aliás, todo mundo confunde, essas duas categorias. Uma coisa são pessoas “com problemas na área da sexualidade”. Outra coisa são pessoas homoafetivas. Costuma-se, por preconceito e ignorância, associar as duas coisas, como se fossem uma. A homossexualidade faz parte do processo evolutivo, e é, inclusive, decidida entes do reencarne. Na condição de homossexual a pessoa passa a compreender uma série de coisas que antes não compreendia, e a valorizar aspectos da vida que precisavam ser desenvolvidos. Assim, por exemplo, um cafajeste bem masculino, poderá voltar na condição de homossexual para desenvolver o respeito pela monogamia, o respeito pelo outro, a valorização de uma vida a dois, pois encontrar alguém para viver em paz é muito mais difícil para um homossexual que para um heterossexual. Nessa condição de dificuldade de encontrar parceiro e reciprocidade de afeto, amargando solidão e carência afetiva durante sua adolescência e juventude, o ser antes cafajeste passará a valorizar sobremaneira os valores que lhe faltavam. Claro, isso é só uma das causas. Existem inúmeras. Há os que optam (e essa opção só existe antes do reencarne) para assim renascer apenas para “passar pela experiência”, assim como muitos optam por renascer negros na época da escravidão, visando aprendizado no processo evolutivo. São várias causas e eu ainda espero ter a oportunidade, futuramente, de escrever um livro-sinópse sobre as mais importantes.

Agora outra coisa, totalmente diferente, são pessoas em situação de distúrbios de ordem sexual. Esses podem ser tanto heteros quanto homossexuais. São pessoas nas quais os valores do sexo, e somente do sexo, predominam. Não desenvolvem afeto por ninguém, nem pelo mesmo sexo, nem pelo sexo oposto. E para a espiritualidade o que vale é o AMOR, pouco importando se esse amor existe entre iguais ou entre diferentes. Portanto, as pessoas “com problemas na sexualidade”, tanto heteros quanto homossexuais, tendem à promiscuidade, à afronta à sociedade, à desarmonia, ao desrespeito com o sentimento do outro, ao egoísmo, ao prazer pelo prazer. É preciso separar as coisas para melhor esclarecer e para melhor entendimento.

Grande Abraço,

Hélcio José

4 comentários:

Wânia Ribeiro disse...

Boa tarde a todos e muita luz, neste ano que se inicia!!!
" A reencarnação é a explicação única para o fenômeno da inversão da sexualidade da criatura humana.As suas causas estão em vidas passadas."( Sexo e Evolução)
Devemos respeitar a constituição psicológica dos nossos irmãos,visto que todos nós estamos de alguma forma,passando por algum tipo de experiência,para alcançarmos a nossa evolução.

Um abraço a todos e muita paz!!!

Wânia Ribeiro

Giselle Fachetti Machado disse...

Muito elucidativa sua explicação.
Gostei muito desse enfoque, fico feliz que minha análise pessoal esteja em sintonia com esses conceitos tão claros e lógicos.

Giselle

PEDRO'S BLOG disse...

Esclarecedor e com muita lucidez o texto acerca do tema.

PEDRO'S BLOG disse...

Muito esclarecedor o texto. Um tema polêmico onde todos buscam respostas... Excelente como foi abordado.